Navegue no Blog

14/08/2017

Mil fases

Acho que nunca contei aqui,mas,sofro de ansiedade. E não,não é aquela ansiedade "boa" que você fica ansiosa para ir a uma festa por exemplo! O meu buraco é mais fundo. Graças a essa queridinha tenho tido umas crises que me deixam loucas desde do ano passado...E cada vez está ficando mais difícil de controlar. Sim,preciso procurar uma ajuda médica,porém fica difícil quando não se tem dinheiro!

E por muito tempo-digo muito tempo mesmo-,a escrita vem me ajudado muito. Desde que tinha 10 anos e começava a ler minhas poesias para minha mãe ou para quem quisesse lê-las (naquela época não tinha "vergonha" de ser me expor)! Não estou dizendo que escrevo bem,ou que sou muito boa nisso. Estou bem longe de ser,mas gosto de pensar que sou capaz.
Acredito que sou uma grande ferida aberta,e que a escrita é meu remédio. As vezes posso usá-lo com forma de "grito" quando tenho ou preciso gritar.

Acho que deixo bem claro em todos os meus textos que,sou insegura. Sofro por não me sentir suficiente. E em todos os sentidos que você possa imaginar. Sou insegura em achar que não mereço o melhor,sou insegura em achar que aquele cara é demais para mim,sou insegura em não me achar boa o suficiente para nada,e sou insegura até em achar que não consigo passar em um concurso público.

E por diversas vezes é uma luta que venho lutado sozinha,desde os meus 10 anos (mesma época que comecei a escrever,lembra?). Sou muito individualista,por vezes sou chamada de egoísta,e pode ser uma coisa ruim dependendo do seu ponto de vista! O lado bom de ser assim -pelo menos é o que eu acho-,é que não preciso envolver outras pessoas em minhas guerras internas. A gente nasce sozinha,e morre sozinha. É uma escolha sua ser sozinha ou viver sozinha.  Parece meio cético,mas convenhamos, é verídico!

Sou impulsiva,teimosa,quando teimo com algo não canso até conseguir. Porém,tenho o péssimo costume de mudar na frente de alguém. Abdico dos meus pensamentos e vontades só para não ser mal vista na frente de alguém! Se tem uma coisa que escuto desde que era criança é quem minhas palavras por vezes machucam,e eu sei disso. Então,fui aprendendo a engolir minhas vontades e pensamentos.

Não consigo me resumi em um só post,não consigo me resumi em palavras,mas posso tentar. E é isso que eu faço desde dos meus 10 anos.

08/08/2017

Jardim Botânico - RJ

 Esses dias fui a um passeio escolar "conhecer" o Jardim Botânico aqui do Rio. Eu já conhecia,porém tinha memórias razas de como era,pois quando fui tinha apenas 7 anos! Então,aproveitando essa excurssão escolar,aproveitei pra fotografar e registrar esse lugar não só na minha memória,mais através de fotografia e vídeos.

Não me leve a mal se as fotografias não ficaram tão boas...Porém estava sozinha,e faz um bom tempo que não fotografava em lugares abertos e públicos! O que vale é a intenção não é migos?!
 O Jardim Botânico é um "bairro" aqui no Rio,onde tem diversas espécies de plantas e animais...Eu acho que também serve como uma espécie de "floresta de conservação" para algumas espécies.

Não tivemos muitos detalhes de tudo pois não tínhamos um guia,ou seja,estávamos por conta própria! Mais tinha algumas placas explicado detalhes de cada espécie.
O jardim é enorme. Dá pra fazer uma boa "trilha" ou caminhada...A parte que eu mais gostei foi a estufa,onde tinha algumas espécies raras e nada convencionais de plantas.
Achei um lugar lindo pra se fotografar,relaxar ou até ler! 
Também tinha um museu dentro do jardim,onde mostrava algumas fotografias tiradas por próprios visitantes do jardim. 


Um beijão,see ya!




04/08/2017

More than just survival,this is my revival!

Mais do que apenas sobrevivência,esse é o meu avivamento!
 Resolvi finalmente voltar,espero que dessa vez eu continue! Não farei promesas,mas juro que tentarei.

Isso tudo é como se fosse uma parte de mim,e por muito tempo,a mantive presa por motivos externos,espero,que não mais. Por isso,resolvi voltar! Mas com uma certa mudança,quero que isso aqui seja um lugar pelo qual eu me orgulhe de compartilhar e mostrar a pessoas o meu trabalho. Sim,amo muito tudo isso,mas quero que seja um trabalho pelo qual eu ame e faça por amor!
Por isso,reformulei muitas coisas...Coloquei um subnome -que será meu subnome-,finalmente troquei o domínio,exclui algumas coisas que se contradiziam as minhas ideias,e me organizei para tudo isso fazer completamente parte da minha vida. E aqui estou,sem muitas expectativas,só fazendo o que eu amo! :)
Esses meses tem sido completamente diferente do que eu imaginava que seria lá no começo do ano. Mas é bom,assim me surpreendo com tudo o que acontece!

Estou no ensino médio e já consigo sentir toda a pressão que as pessoas sofrem quando estão nessa fase da vida,mas tudo bem! Estou fazendo -quase terminando,por sinal- o curso de operador de computador,mas,espero eu,não parar por ai...Entrei para um projeto no colégio de empreendedorismo,tá mais para um curso,onde usamos nossa criatividade para criarmos projetos e aprender sobre diversos assuntos culturais. E apesar de tudo isso,continuo avançando com meu inglês!

Ah,também voltei pro canal: Garota Rude

Nesse meio tempo conheci pessoas incríveis,outras nem tanto...Mas tudo bem!
E ah,criei um instagram só para postar minhas fotos,aquelas que não vão para o meu outro insta: _garotarude.
Eu já havia tentado outras plataformas como o tumblr,mas não me adaptei muito. Então,resolvi criar uma conta onde me permito ser a loka do feed e compartilhar algumas fotografias legais mas não tive a oportunidade de postar! 
Segue lá: _nicacarvalho



Beijos,e see ya!

19/07/2017

Enjoy the view

O relógio marcava 17:00 horas, estávamos em mais uma daquelas festas bobas de final de semestre na faculdade. Jonathan era meu companheiro nessas festas ridículas, sempre nos encontrávamos nelas, apesar de cursar cursos diferentes...Ele era meu companheiro de breja e outras coisas que botassem na mesa. Nossas conversas eram tão intensas, ele me tirava da zona de conforto.

-Eu nunca amei. -Eu disse enquanto dava mais um gole na bebida.

Ele me olhou, surpreso, e estendeu o copo de whisky pra mim. Eu sorri e bebemos!

-Então, todos os homens aos quais você se relacionou, não era amor? Perguntou.

-Da minha parte...Não. Devo ser uma pessoa horrível por conta disso...

Na radio começou a tocar “Ride” da Lana Del Rey.

-Não acho, mas é ruim!

-Ruim? Perguntei.

-Sim, deve ser ruim nunca ter sentido como se seus ossos doessem por não estar com aquela pessoa. Deve ser ruim não poder se sentir transbordando de felicidade só por ter alguém ao seu lado. Deve ser ruim não ter amado. Deve ser ruim não se sentir desmontada só por um toque...

Mordi meus lábios e o olhei fixamente. Jonathan, tinha algo único! Tinha um olhar tão profundo e verdadeiro que me fazia viajar sem nenhum esforço. Me fazia sorrir de uma forma que só ele conseguia fazer...Amava a forma que ele transformava tudo em poesia...Ele era a poesia!

-E não é bom se sentir completa e maravilhada sozinha? Perguntei.

-Você é?

Ele me olhou fixamente. O sol estava se pondo, olhei ao redor e de repente lembrei que não estava só eu e ele. Estávamos em uma festa na piscina, e por ser no terraço o por do sol estava maravilhoso, “nunca tinha visto uma coisa tão linda” pensei. Voltei a olhar para Jon e percebi que o sol o deixava mais lindo “nunca tinha visto ele dessa forma”! Somos amigos a quase três meses, e nunca havia o visto dessa forma. “´É tudo questão de perspectiva” pensei.

-É tudo questão de perspectiva! Disse em voz alta.

Jonh deu mais um gole em seu whisky, e bufou.

-O que te impede? Perguntou.

-De que?

-De amar...

Tomei o último gole de whisky que havia em meu copo e dei de ombros.

-Medo? Perguntou.

-Não acho...

-Insegurança? Perguntou.

-De forma alguma.

-Então, o que? Perguntou.

-Talvez eu procure alguém que mesmo estando juntos me faça sentir livre. Não quero me sentir presa ao lado de alguém...Não quero que alguém esteja do meu lado porque me deve algo...Quero alguém do meu lado que mesmo que não me deva nada, me ame. E esteja ali por quê me ama. Só por isso.

Pela primeira vez em três meses consegui fazer Jon ficar em silêncio...Ele deu mais um gole, e sorriu. Ah, um sorriso que só ele sabia dar! Pôs os óculos em cima da mesa, se levantou, foi até o som e pôs Flawless” do The Neighbourhood para tocar -todos naquela festa já estavam bêbados e só tinha uns três na piscina, o que nos dava a oportunidade de colocar nossos indie's!-, e em menos de dois minutos estava de volta com uma garrafa de vinho.
Encheu os copos e me entregou um.

-Vem, tenho que te mostrar algo! Disse ele.

-O que?

Ele pegou minha mão, e fomos para um telhado! Jonh me ajudou a subir, ele se deitou e me puxou para deitar em seu peito. Eu podia ouvir sua respiração.

-O que estamos fazendo aqui? Perguntei.

Ainda dava para ouvir a música tocando, dessa vez era Fouth of July”  do Sufjan Stevens.

-Apreciando...

Peguei meu copo de vinho e dei um gole que acabou com ele, me engasguei e John deu uma risada.

-John...Obrigada!

-Agradeça a Deus. Disse ele.

-Obrigada Deus! Gritei.

Ele sorriu, e me abraçou. Eu nunca tinha visto John de outra forma além de um amigo, mas depois de tudo, ele era mais que aquilo! E eu tinha medo. Medo de estragar tudo, eu sempre estragava...

-John...

-Shhh, enjoy the view,baby!

Ele me abraçou e beijos meus cabelos, enquanto acariciava meus braços...E então, foi ali que eu percebi que estava amando!




23/06/2017

Submersa

Okay,cheguei a duas grandes conclusões,e queria dividi-las com vocês. A primeira é que eu mereço alguém que ame minha curvas,que me faça sentir única e infinita num Mundo onde nós criaremos juntos. Mereço alguém que me faça querer correr pros braços quando estiver assustada,alguém que me entenda,alguém que sempre me deixe claro o quão bom é se sentir amada!
A segunda é: e você não é essa pessoa.

Tudo bem,não trocamos juras de amor. O máximo que conseguimos perguntar foi:"Seria demais pra você?" que de certa forma demonstrava respeito mútuo. Até certo ponto. Até o momento em que você ficou com ela,foi um toque fundo na minha alma. Sabe quando você guarda muitas coisas no peito,e quando você lota,existe uma pecinha que te faz desmoronar. Pois é,vocês foram essa pecinha!
Meu coração dói,mas não por ti,e sim por ela. Ela era uma das quais eu mais confiava,e atirou fundo.

E agora eu estou em abstinência. Não sei como reagir. Estou submersa,e parece que estão me arrastando cada vez mais para o fundo. E o seu peso é o que fazem minhas costas doerem de tão fundo que você está me levando! Estou me afogando,e você é quem está me afundando. É engraçado,porque era você quem me trazia de volta pra superfície. É sufocante. E não sei como voltar pro topo.

Estou cansada,e cheia disso tudo,tenho que admitir. Mas o mar só me arrasta cada vez mais pra baixo. Acho que deveria deixa-la ir. Mas como deixar uma pessoa ir sendo que ela já foi uma das grandes causas da sua sobrevivência? Me diga,porque eu ainda não sei.

Espero que um dia eu consiga...