Navegue no Blog

13/10/2017

Sobre dias nada convencionais | Fotos


 Não sou muito fã de coisas muito planejadas. Gosto de coisas que saem do controle,que tomam rumos inesperados e surpreendentes! Pode ser meio desesperador,eu sei. Mas vai me dizer que tu não gosta do inesperado? Do novo?

Uma vez me disseram que as vezes é necessário deixar a vida te guiar. Ter controle de tudo e sobre todos pode ser doentio. E sim,o não convencional me encanta!

Vou contar a história de uma dia de inverno que saiu totalmente do roteiro:
Marquei com uma amiga e a mãe dela de irmos a uma praia aqui no Rio,em um sábado. A praia que elas escolheram foi a mais "perto" de casa...
Acordei as 6 horas de um sábado,me arrumei,e advinha? elas cancelaram bem na hora. Porque o tempo estava com uma cara de que iria chover. Sendo que sou bem teimosa,e fiquei irritada por ter acordado cedo pra nada.

Lembrei que uma amiga minha queria ir na praia do arpoador nesse mesmo dia,a chamei e simplesmente fomos. Ela e eu. Sozinhas. A "viagem" foi bem longa,porém satisfatória.

Quer saber o final: passamos o dia na praia,conhecemos pessoas muito legais,e ainda pegamos o pôr do sol na pedra do arpoador. Tem até aqueles típicos aplausos do pôr do sol que aparece na TV (bem Rio de Janeiro mesmo)...
Perigo existe em todo lugar. E sim,estávamos apreensivas pois a praia é bem longe de nossa casa,e outro motivo é que moramos no Rio de Janeiro,é só abrir qualquer portal da internet sobre essa cidade que você verá as notícias agráveis que temos todo dia. Mas se não fossemos,teríamos perdido um dia incrível!

O medo não pode te parar.
Para quem quer conhecer essa praia aconselho que passem o dia aqui. Ou pelo menos a tarde,para poder contemplar o por do sol,spoiler: é fantástico.
Na praia do Arpoador encontramos bastante policiamento e salva vidas.
A praia de Ipanema (que é bem do lado) estava lotada,porém com policiamento também.
 E você? quais foram seus dias nada convencionais? Me conta...

Beijos,e see ya!

03/10/2017

Meu bullet journal

Eu sempre fui apaixonada por itens de papelaria e organização,mas isso não quer dizer que sou a pessoa mais organizada que tu conhece.
Já tentei diversos itens e coisas que poderiam me ajudar a organizar alguns detalhes da minha vida! Mas quase todos falharam. Já tive caderno de organização,blogbook,aplicativo de organização,quadro,post it...
Até que,de uns tempos pra cá surgiu a ideia do bullet journal,que pra mim nada mais é que um caderno de organização mais decorado! 
Minha busca por cadernos sem pauta e bonitinhos foi árdua. Até que desisti e comprei um com um estilo "padrão" dos bullets journal,sendo que com pauta! Pois são mais baratos,e vem com mais folhas.

Então,eu resolvi mostrar para vocês meu: bullet journal de pobre. 
Na primeira página eu fiz umas colagens e coloquei uma foto minha com minha irmã e minha amiga.
Na segunda eu fiz um calendário bem desorganizado só para dar início ao bullet e mostrar que tudo o que acontece nas páginas seguintes são desse mês...Entendem?!
Ai vieram alguns assuntos da minha escola com: as matérias que eu devo repor,os testes e provas,e os trabalhos e pesquisas de cada matéria.
Na página 4 eu escrevi sobre os livros que eu quero ler,estou lendo e devo terminar.
Abaixo as séries e filmes que eu assisti e terminei no mês.
Também escrevi os posts e vídeos que eu quero fazer. Tem bastante ideia,só falta tempo e vontade pra fazer tudo direitinho! 
Outra ideia que eu tive foi: escrever minhas metas e o que eu posso fazer para realiza-las,e tudo com ''data de validade'' haha.
Aqui eu escrevi um pouco do que eu aprendi no workshop do Efeito Orna,das meninas do Tudo Orna!
Um ideia de projeto inacabada que gostaria de fazer por aqui...Spoiler: é sobre feminismo!
E a última página são as informações e ideias que estava tendo para o meu brechó&bazar  online. Inclusive,segue a gente lá no insta? /brestore2/

E é isso,inspiração e vontade de ser organizada é o que não falta. E vocês? O que usam?

Beijos,e see ya!

22/09/2017

Eu não sei amar.

Eu sempre fui considerada aquela que "não tem coração","não se apega a ninguém","a egoísta"...E teve uma hora que eu aceitei esses rótulos e comecei a achar que era realmente realidade. Por que eu sou a única do grupo que nunca se apaixonou? Por que sou a única do grupo que não tem um namorado? Por que sou a única encalhada? Esses questionamentos surgem na minha cabeça até hoje...

Me pergunto se é esse meu medo de me sentir exposta -talvez seja por isso que eu não goste muito que meus amigos leiam meus textos-,minhas inseguranças...Ou seja um medo de amar.
Tudo isso me faz pensar que deve ter algo muito errado comigo,se eu sou realmente difícil de ser amada,se eu sou suficiente,ou se sempre sou eu quem estrago todos os "relacionamentos" que eu entro.

Mas quer saber? Talvez eu seja mesmo essa egoísta que tanto falam. Tudo bem ser rotulada dessa forma só por não ser a típica garota de 16 anos apaixonada pelo cara popular da escola. Tudo bem não apostar alto em ninguém. E não vejo isso de forma alguma como um problema!

Tem razão,eu sou a egoísta que não aceita um amor meio mais ou menos.
Eu sou a egoísta que não quer uma pessoa do meu lado só porquê ela me deve algo. Eu quero alguém que esteja comigo por livre e espontânea vontade,sem ter o sentimento de que "esta comigo porque me deve algo" ou por obrigação. Quero alguém que quando estiver cansado de algo,me fale! E não arraste um relacionamento doentio e ruim "só para me ver feliz".

Se você não considera isso uma forma de respeito e amor próprio...Tudo bem,talvez eu não saiba mesmo amar! Mas o que você considera amor?


15/09/2017

Memórias dela.


Ele aparenta ser aquelas minas que escutam bossa à caminho da praia, que acordam cedo para ver o sol,estudam pro vestibular de medicina...E seus olhos? tão profundos quanto o oceano. Eles expressam sinceridade, claros, e ao mesmo tempo misteriosos...Só Deus sabe o que aqueles benditos olhos viram ou passaram na vida.

Seu corpo e sorriso mostram a sua jovialidade e força. Ela é tempestade e maré baixa,assim,tudo ao mesmo tempo!

As vezes me pergunto: o que me encantou nela?
Sua risada juvenil,seus cabelos tão loiros quanto o sol,ou seu gosto por café? Parceiro,nem eu sei.
"O cara que a tem deve chacoalhar bastante em seu barquinho nessas águas..." Era a única coisa que conseguia pensar olhando para ela,naquela sexta feira de manhã.

"-Pode me passar o guardanapo? Perguntou.

-Claro!

Ela havia derramado um pouco de café na camisa branca,provavelmente da escola. E tentava a todo custo tirar,sendo que só espalhava mais.
Foi ali que percebi que ela poderia ser atrapalhada!

-É só passar vinagre branco!
Eu disse,em um estalo,sem pensar muito.

Ela se virou pra mim, e soltou um sorriso tímido.

-Obrigada, é só minha camisa da escola...Só estou um pouco irritada porque acabei de lavar! Respondeu.

-Essas coisas acontecem! Com vinagre branco sai rapidinho,dica de minha mãe...

Ela deu outro sorriso,dessa vez mais caloroso que o outro.

-Mães sempre estão certas. Seguirei essa dica,obrigada!

-Me chamo Samuel,mas pode me chamar de Sam...Eu disse,estendendo minha mão direita para cumprimenta-la.

Ela deu outro sorriso, e apertou minha mão.

-Beatriz!"

Beatriz,um nome tão simples e ao mesmo tempo tão delicado,combinava com os grandes olhos castanhos dela. Posso dizer que cantaria para ela todos os dias antes de dormir,só para vê-la adormecendo em meus braços...Sua risada é algo que guardo na memória, e só de fechar meus olhos e imaginá-la sorrindo já me torna um cara sortudo!


09/09/2017

Desculpa,se eu não sou o SEU tipo de corpo!


Nunca me considerei a garota mais bonita da escola,ou da sala (até porquê,eu não sou). Porém,lembro que desde os meus sete anos já sofria uma certa "pressão" por ser magrela demais,o pior: por ser magrela,mas não ser alta e nem "bonita" para ser modelo. Eu não sabia no que fazer para ser como essas mulheres padrão que aparecem na TV,eu só sabia que tinha que ser como elas!
Os tempos foram se passando e começaram outras cobranças para ser mais "gostosa",desenvolver mais peito,mais bunda,ter as coxas mais grossas...

E não era só pressão dos outros,havia muito de mim naquele jogo mental que eu me envolvia. Pois tinha a ideia de que: se os outros acham isso de mim,é porque esta certo. E ali eu ficava,me comparando e pensando no que eu faria para chegar "até lá",sendo que o "lá" não existe.

Percebo que metade do que pensou/sou hoje é retrato do que eu ouvi no passado. Todas as minhas inseguranças,medos...São reflexos de coisas que eu ouvia com SETE FUCKING ANOS!
E,é triste saber que essa pressão sobre as pessoas (principalmente,mulheres) ainda existe. E muito!
Vou contar uma história que passei a alguns dias e me fez ficar bem triste,e até "desabafar'' nos stories do instagram,mas senti que não me expressei direito,então,resolvi escrever aqui:

Fiz a brincadeira do "Doritos" no meu status do whatsapp,e postei essa foto da esquerda nele! E alguns "amigos" meus me zoaram,falaram que eu era muito feia,seca...O que,confesso,me fez de alguma forma ficar mal!
Não pelo fato de eu ser "feia" na época,mas por saber que eles ainda fazem esse tipo de comentário sobre a aparência de alguém.

E fiquei pensando que são esses tipos de comentários que fazem algumas pessoas chegaram ao extremo,ou estregaram e saúde mental e física delas. São esses comentários que fazem pessoas como eu,se odiarem,odiaram cada parte do corpo delas. E eu simplesmente cansei...Cansei de engolir esses comentários e ficar quieta,só aceitar. Então,desculpa se eu não sou o SEU tipo de corpo! Porquê,graças a Deus,eu quero ser e SOU o MEU tipo de corpo.
Não sou seu padrãozinho,nunca vou ser,e graças a Deus por isso! Tenho estrias,tenho uma pancinha,também tenho pouca bunda,peitos pequenos...E tudo bem por isso. Sabe por que? Porque sou mulher,sou humana. E não a droga de um robo padrãozinho.